CATAVENTO E A FORÇA DOS ENCONTROS

Em seu primeiro disco de carreira, a cantora e compositora Nathalia Bellar nos conduz ao encontro com a força do movimento inigualável dos ventos, que ditam estações, tempo de colheita, trajetos de tantos barcos cheios de histórias e paixões. O amor, o desamor, os medos cotidianos, as lutas sociais, as alegrias e também as dores. Tudo o que faz parte do desafio de SER, está presente na poética desse trabalho que marca a celebração dos mais de 10 anos de trajetória musical dessa paraibana nascida em João Pessoa.
O disco é um passeio sonoro por diversas influências, traduzindo a ancestralidade desse Brasil multicultural e tão africano, com pinceladas modernas da música eletrônica e do POP, além de um pedaço significativo da música nordestina. Sempre carregando em sua essência, as marcantes interpretações de uma cantora que já se destacava como intérprete visceral e que se lança como uma compositora em exercício. 
Nathalia Bellar assina a direção artística do trabalho e as canções “Na Morada”, em parceria com Guga Limeira e “Samba Canção”, com Tino (seu parceiro também no single “Menina”, lançado em 2018). As regravações de artistas consagrados como Lula Queiroga em “Roupa no Varal” e Totonho em “Eu mandei meu amor pro espaço”, figuram com enorme força nesse trabalho; além da brilhante participação do incrível Chico César, na canção “Furtacor”, do compositor Wister. Concluem o set, as canções “Entranhada” do cearense Juruviara, “Oceana”, de Guga Limeira, “Catavento” de Chico Limeira, “Farinha de Pó de estrela” de Titá Moura e “Jabuticaba”, do pernambucano Barro em parceria com Rodrigo Campello, que também produziu e arranjou 08 faixas do trabalho, além de mixar com maestria cada uma das canções. A coprodução é de Jader Finamore, responsável pelo arranjo de 02 faixas.
De canções dançantes com as cores vibrantes do verão, à canções invernais, que relatam o frio do desamor, o Catavento passa feliz pela primavera e despetala no outono da renovação, afirmando de vez que veio para ficar, trazendo versatilidade ao mercado musical e à Nova MPB.

o album

Um dos mais bonitos discos lançados da nossa aldeia Paraíba para todo o globo.

dois mil e vinte bateu. segundo dia e da cabeceira do streaming pros fones de ouvido, pras profundezas da mente, saindo do corpo até o arrepio, êxtase maior, a música penteando os pêlos, penetrando os poros, conexão com algo que está além. ouvi o catavento de nathalia bellar e bateu, por isso cato sem achar as palavras que agora fogem dos dedos e talvez estejam nesse exato momento dando play num dos mais bonitos discos lançados da nossa aldeia paraíba para todo o globo. quem sabe não estão sendo, essas palavras que me escapolem, agora playadas, tocadas, tocando, porque sem dúvidas esse disco diz muito sobre nós. tá tudo aí. e se você acha que eu sou suspeito porque sou fã dela e agora ganhei o presente de ter sido gravado por ela, vá ouvir, se deleitar, mandar pros contatinho, salvar pra ouvir offline, se acarinhar da belíssima voz de bellar. mando os parabéns pra toda a equipe, trabalho incrível, cês subiram o sarrafo de 2020. dá teus play!

 

(Chico Limeira - cantor e compositor)

Ouvi o CD Catavento várias vezes e com grande prazer. Foi uma surpresa muito agradável desde a primeira audição. Os dois elementos que me atraíram de cara foram a suavidade da voz dela (realmente me causa prazer enorme) e a beleza dos arranjos de cada uma das faixas. Todas as canções são boas. Todas mesmo!! E isso é surpreendente.

 

(Orlando Veloso - médico e diretor artístico)

singles

GIRE COMIGO